domingo, 25 de março de 2012

Lealdade, não me seja problemática!

 

William Klein - Anouk Aimée - 1961

Se você olhar no dicionário o significado das palavras fidelidade e lealdade verá que não são tão diferentes uma da outra, em suma, as duas dizem respeito à honrar um contrato feito, contudo, a fidelidade tem como parte peculiar do contrato o amor, abstrato, amor.

Lealdade é então respeito aos princípios e regras que norteiam a honra e a honestidade [em dicionário Houaiss]. Ou seja, ser leal é ser honesto e ser honesto é, para mim, algo que tem a ver com não mentir, com dizer a verdade [que a gente sabe que é só sua, mas é uma verdade] sobre o que foi indagado. Eu sou super fã da tal lealdade, admiro e respeito profundamente quem tem a capacidade de sê-lo [leal].

No entanto, ser leal é imensamente dolorido, pois, diferente da fidelidade, a lealdade não depende só de você, depende da capacidade do outro de lidar com verdades. Mentiras podem ser – e são, na maioria das vezes – muito mais confortáveis do que qualquer verdade. Desde a mais tenra idade aprendemos a mentir, quantas crianças já não vimos sendo coagidas por estarem sendo “naturalmente sinceras demais”, como lhes é peculiar? E aí, essa mentirada toda que envolve estar moralmente constituído como sujeito de uma sociedade nos faz entrar em conflito com a tal lealdade.

A lealdade implica em poder contar ao seu parceiro contratual – em papel ou em honra – o que você quiser e poder ter a certeza de que ele não irá desconfiar, se exaltar ou pensar minimamente que você não está honrando o contrato. A lealdade pressupõe que o outro irá ter estômago e brio treinados o suficiente para ouvir qualquer coisa e a partir do que ouviu tomar suas decisões baseado na versão da história que lhe é acessível, isto é, do seu parceiro, porém respeitá-lo.

Todavia, pode ser mais confortável ser apenas fiel e deixar a lealdade para lá. A fidelidade apenas lhe proíbe de quebrar um acordo do contrato, como por exemplo: em um relacionamento amoroso não se pode ser bígamo e nem sassaricar por aí com outra pessoa que satisfaça as suas vontades carnais. E fazer isso é fácil, fugir das possibilidades de traição é fácil, difícil é querer dizer ao parceiro que teve a oportunidade, mas que não o fez. Difícil é dizer ao parceiro que percebeu como é fácil estar com outra pessoa em busca de prazer, mas não o fez. Na verdade, difícil mesmo é o parceiro compreender que quando você diz isso você está sendo tão clara, tão transparente que é como se você não pudesse ser outra coisa do que inteiramente dele e de mais ninguém, pois mentiras e omissões são caquinhos da máscara que você quebrou no começo do relacionamento sendo colados novamente.

Eu não gosto de máscaras, mas eu gosto menos ainda de ter que ficar justificando-me por causa da incapacidade do outro de acreditar no que claramente eu digo.

See u!

2 comentários:

  1. "estômago e brio treinados..." X da questão!!!
    =)
    ...ai ai, esses relacionamentos desde as mais remotas eras dando um trabaaaaalho, rs ...que durezaaa!!!

    a proposito... Ei Cassi!!! =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Joããão! Fiquei emocionada com vc aqui. HiHiHiHiHi...

      os X's das questões são sempre os mais simples problemas que temos. =(
      ai ai..
      =**

      Excluir

Comentários moderados.