sábado, 18 de junho de 2011

Assim Disse [escreveu]: José Simão

Comprei um livro em um sebo, um livro de antropologia que chama “O Negócio do Michê” do Nestor Perlongher. Dentro do livro veio uma cópia de um recorte de jornal. E eu fiquei espantada com o recorte, pois já são 20 anos desde tal publicação e não há novidade e nem mudança nas posições referentes ao que lá contém. Por isso, resolvi transcrever a matéria escrita pelo José Simão, com muito humor, mas cheio de petelecos na orelha.


***


Folha de S. Paulo – Quarta-Feira, 27 de novembro de 1991

E bicha incubada é chata até em Cuba

Psicólogo evangélico diz que cura ‘vício gay’, mas ele não sabe que ‘uma vez Flamengo, sempre Flamengo’

José Simão - Da equipe de articulistas

Bichas de armário enrustido, uni-vos! Tão querendo acabar com a alegria do “mundo alegre”. É um psicólogo evangélico que diz que cura “vício gay”. Ah, é? E qual é o tratamento? Entra de salto agulha e sai dando sova de pinto em piranha e quebrando quarto de motel?!

E como é o nome dele? Dr. Ageu. Ageu?! Então ele não quer se vingar das bichas, quer se vingar do mundo! E a gayzada se vinga dele: faz macumba na porta do consultório. Evangélico tem pavor de orixá!

Dr. Ageu Errado diz que homossexualismo não é doença ne

m opção, é obsessão! Já sei, a bicha não quer, não quer e quando vai ver já tá lá na caneca de Prata. Fazendo hora pra Marquês de Itu. E charme pro Marquês de Sade!

E Renata Rangel abre sua excelente reportagem na Folha sobre o dr. Ageu quase assim: ele diz que cura “vício gay” contrariando as massas: “Uma vez Flamengo, sempre Flamengo”. E a gayzada grita: “Aqui em casa a gente é Flamengo até morrer!”

Ele anuncia: “Os homos

sexuais podem mudar”. Pra São Francisco! I left my heart in San Francisco. And my fiofó no HS! Uau! E 30% da clientela é gay. Xiiii, imagine o quebra louça na sala de espera!

E o dr. Ageu Erradíssimo diz que curou uma bicha que até se casou. “Fui padrinho”. Ah, que coisa imoral! E criar bigode faz parte do tratamento? Bigode pra desembarcar em Cuba. Bicha incubado só em Cuba! Em Cuba de Fidel ou em cuba de gelo!

E o dr. Ageu Erradérrimo diz que tem três fatores para eclosão do homossexualismo: 1) Pais repressivos. E o gay: “Meus pais não eram repressivos. Até incentivavam a minha carreira de detetive, toda vez que minha mãe escondia o batom eu achava!”

2) Pais ausente. E o gay: “Torcia pro meu pai ser ausente, mas ele tava sempre lá enchendo o saco!” 3) Pai ou mãe alcoólatra. E o gay: “Minha mãe nunca foi chegada numa birita. Só em Hollywood, pra emagrecer!” Rarará. Não sou defensor das bichas. Mas é melhor que os marcianos invadam a terra. E não os moralistas!

E bicha não morre, vira purpurina. A não ser bicha burra. Que já nasce morta. Em porta de consultório!

***

E eu digo o mesmo que o Zé Simão disse em 1991:

É melhor que os marcianos invadam a terra. E não os moralistas!











“Bicha não morre, filha, bicha vira purpurina”.

Trecho do documentário Dzi Croquettes – produzido por Tatiana Issa e Raphael Alvarez

#ficaadica

See u!

2 comentários:

  1. Muito melhor os marcianos!!

    Apesar de não gostar de nada que amarre. Enfim, acho que seres humanos amam e sentem atração por outros seres humanos. Simples assim. Essa de nomear, sou gay, sou hetero e não mudo só restringe...

    Estou hetero até hoje, amanhã, sei lá... sem essa de decidir pra sempre, né? Pra sempre é muuuito tempo!

    Adorei, Cassi

    ResponderExcluir
  2. Isso mesmo, Rosana.
    No doc. Dzi Croquettes eles dizem no espetáculo que não são nem homens e nem mulheres, são gente!

    E é isso que devemos ser sempre, GENTE!

    bjinhos!!

    ResponderExcluir

Comentários moderados.