domingo, 22 de maio de 2011

Como ser uma entusiasta? [Dos problemas mal resolvidos]

entusiasmo

Eu nunca fui do tipo entusiasmada e nem sou do tipo negativista-deprê!! E mais, longe de mim querer insinuar que eu sou um tipo harmônico-Namastê! O lance todo é que eu sou do tipo “executora”. Desculpe-me, mas eu não consigo ser do tipo que acorda pela manhã e dá Bom dia! ao dia, eu já acordo pensando o que eu tenho que fazer, quais são as minhas tarefas.

Vejam bem, eu sou alguém que precisa de Lições de Entusiasmo!

Então vamos lá!

Se você é do tipo que as pessoas conversam, conversam e conversam ao seu lado e no final você diz “hanram!”

Se você não aguenta mais ser chamado de broxante, desestimulante, frio e chato.

Se você não consegue dar pulinhos de alegria quando alguém chega com uma grande notícia.

Se você exercita o sorriso amarelo quando aquela pessoa super inconveniente vem dizendo abobrinha.

Você está cansado de ter que viver assim, preferiria ser um entusiasta????

Então junte-se a mim. Sim, nós podemos ser pessoas mais agradáveis para gregos e troianos. Pois o que importa nesse mundo novo que aceita a diferença é ser agradável com todo mundo. coca-cola

Com esse treinamento você vai parecer muito mais agradável do que qualquer pinup das propagandas americanas da década de 1950.

Sendo um entusiasta em 7 lições

Primeira Lição: Não existe realidade. Isso é uma coisa que você inventou para justificar suas tristezas. O mundo é feito de sonhos! Então sonhe. Acredite sempre no seu potencial e no potencial do outro. Não se esqueça nunca dessa palavra: Potencial.

Segunda Lição: Sorria. As pessoa mais agradáveis do mundo são conhecidas pelo seu sorriso constante. Você sabe quem é Silvio Santos?? O sorriso mais popular do Brasil. Se você sorrir, frouxamente, as pessoas vão lhe amar para todo sempre.

Terceira Lição: Nunca dê opinião sobre as atitudes de outras pessoas. Lembre-se: quando alguém pede a sua opinião na verdade ela está pedindo sua aprovação. Então repita comigo: “Nossa! Que ótima idéia!” ou “Você é incrível! Eu nunca teria pensado nisso!” Finalize a frase com um lindo sorriso e incline a cabeça levemente para um dos lados. Pode parecer babaca agora, mas, confie em mim, vai funcionar.

Quarta Lição: Se você disser algo desagradável peça desculpas imediatamente, diga que está de TPM [se for mulher] ou que foi traído pelo amor da sua vida [se for homem], coloque a mão sobre os olhos, abaixe a cabeça e diga: “Mil perdões!”. É infalível. As pessoas sempre se comovem com a dor das outras. E perdoam facilmente quando estão comovidas.

old peopleQuinta Lição: Essa é uma das mais importantes lições. Pois é o que faz todo o treinamento funcionar de maneira correta. Quando você estiver em situação de diálogo lembre-se sempre que o outro é superior a você, que ele é quem sabe mais, ele é quem pode ter as melhores idéias, o trabalho dele é sempre fantástico. O seu, o seu trabalho é secundário, nunca será tão bom quanto o daquela pessoa estupenda que está na sua frente.

Sexta Lição: Aprenda a controlar as suas reações faciais. Sabe quando alguém chega com aquele expressão super alegre e diz: “Nossa!!! Estou tão feliz, minha cachorrinha pariu seis cachorrinhos saudáveis!” E você faz aquela cara de “Pufff.. E eu com isso, minha filha!” Pois então, segure a onda. Aprenda a controlar e diga com grande alegria: “Que lindo! Eles devem ser uns fofos!” E tudo ficará bem!

Sétima e última Lição: Se você não souber dar saltos de alegria. Aprenda! Os saltinhos são a marca de quem é um entusiasta por natureza. Todo entusiasta que se preze salta.

Bazzinga!

Se você encontrar um entusiasta sincero por aí, dê-lhe parabéns por mim. Admiro muito as pessoas que têm em si a empolgação de um canguru hiperativo.

Contudo, muitas vezes esquecemos que nossas vidas existem em rede.individualismo[1]

Que estamos conectados uns aos outros. Que temos diferenças mil e que talvez o esforço não deva ser só no sentido de conseguir fazer com que o outro se encaixe na norma. Nem sempre quem está dentro do padrão de comportamento socialmente aceitável é quem tem a autoridade para determinar como o outro deve agir. Ser quem se é não deveria ser tão complicado e quando eu vejo pessoas se esforçando em fazer com que outras sejam o seu espelho, ou pior, que sejam o seu refúgio no agradável [confortável] eu fico profundamente irritada.

Não gosto muito que toquem e tentem transformar meu espaço, se você diz que eu tenho que mudar, está aí mais um motivo para eu continuar a ser o que sou. A pirraça faz parte de mim. Agora se você não focaliza, não tenta forjar minhas atitudes de acordo com o que você pensa ser o correto eu vou mudando, me transformando, virando outra coisa. O que me dói, me irrita, me machuca é acatar a imposição alheia à minha vida. Preciso acreditar que sou autônoma, mesmo que não seja. Por isso, não coloque o seu dedo no meu prato de sopa.

Eu acredito que a receita para se viver bem é: respeito ao indivíduo que o outro é.

Respeitar a diversidade não é mudar o bailado de acordo com a música que toca. Respeitar a diversidade é continuar o seu bailado e não impor ao outro o seu bailado. A beleza está no inacabado, no imperfeito, no disforme. Bonito é reinventar o feio. Smiley piscando

See u!

ps.: Foi um devaneio muito pessoal, mas pode ser útil para alguém. Polegar para cima

4 comentários:

  1. É utilíssimo, acho que para quase todo mundo. Esse exercício do respeito não é mole não. Cada um vê a linha divisória entre respeito e desrespeito em um ponto diferente...

    Beijos!
    Deb.

    ResponderExcluir
  2. Não é mole mesmo, Deb. E eu vejo a coisa ficando cada vez mais estranha... bem bizarro! Medo!
    bjinhos.

    ResponderExcluir
  3. td útil pra nós grinchs, mas ali no início tá certíssima qdo diz do mundo que aceita a diferença. esse mundo novo aceita, sim, qq diferente (q muitas vezes nem é minoria real), desde que aquela pessoa diferente se faça aceitável. quem nunca ouviu um "ele é gay mas é suuuuper gente boa" ou "ela é gordinha, e é tão educada!" ou "é um negro bonito demais!" foi pq não quis ouvir assim.
    pq é assim que as pessoas se aceitam. cada um senta no seu rabão e aponta nos outros o que é absurdo e o que é aceitável, até de quem não está pedindo aprovação.
    tá aí. a solução é se colocar no lugar do outro, pra exercitar o respeito, maaaaas não confundir com SER o outro.
    a diferença existe! mas existe para todos.
    amém.

    ResponderExcluir

Comentários moderados.