domingo, 5 de setembro de 2010

[Entrevista] Primeirinha.

Estou começando com mais um espaço no meu blog. Entrevistas com pessoas com que convivo e considero interessantérrimas.

E começo com a Déb., ela tem um blog [http://osexoeasmulheres.blogspot.com] mas nós nos conhecemos extra-vida de blogueira e a culpa foi do jogo hospedado no facebook, o FarmVille. Viva o FarmVille. \o/

A entrevista é de entrevistadora principiante, por isso já aviso que quando eu estiver mais esperta nisso ela passará por aqui novamente. E é do tipo entrevista rápida mesmo, para ninguém ficar com preguiça de ler tudo. HiHiHiHi…

Untitled-1 copy

Cassi: Quem é você?

Deb.: Sou uma trabalhadora autônoma, de alma pecadora, mas bem-intencionada.

Cassi: Você usa óculos?

Deb.: Deveria, mas deixo pra lá.

Cassi: O quê você lê?

Deb.: Boa literatura, basicamente. De Machado de Assis a Abilio Estévez, de Flaubert a Bukowski.

Cassi: O que você faz no ciberespaço?

Deb.: Me mantenho conectada a amigos, escrevo o blog, acompanho blogs que me interessam, leio notícias e assisto muitos vídeos de música.

Cassi: Qual são os rótulos que lhe dão?

Deb.: Rótulos? Já ouvi muita coisa. Perfeccionista, hiper-exigente, tarada, pornógrafa (esse ouvi da minha própria mãe... hehe) ... chata, crítica, idealista...

Cassi: Quais são as coisas que você faz socialmente?

Deb.: Sair com amigos para bares & bebidinhas & conversas ou, meu programa preferido, para ouvir boa música ao vivo.

Cassi: Onde ficam os seus segredos?

Deb.: Guardados a sete chaves.

Cassi: Quando na sua vida você precisou ser mulher de verdade?

Deb.: Sempre, em minha vida adulta.

Cassi: Você faz sexo com o quê?

Deb.: Com o corpo, com a cabeça... e sempre que possível, com a alma.

Cassi: Acredita na fragilidade feminina?

Deb.: Acredito em momentos de fragilidade. Que os homens também podem ter, mas aos quais nós somos mais sujeitas... ou nos permitimos mais... ou exibimos mais. De resto... não, não acredito.

Cassi: Acredita na força masculina?

Deb.: Minha resposta para essa pergunta seria a imagem invertida da resposta anterior... Eles são educados para manter, ou pelo menos aparentar, essa força. Também não acredito nela não. Não acredito nessas dicotomias.

Cassi: Diga alguma coisa que você acha que a população do seu sexo oposto precisa saber.

Deb.: Que mulher NÃO É tudo igual. E que as mulheres que eles santificam não são santas... e que as que eles usam não são objetos.


(***)

Obrigada Déb. linda… Foi um prazer enorme começar por você. Smiley piscando

2 comentários:

  1. O prazer foi todo meu, Cassi. :-)

    E benditas fazendas... hoje abandonadas, virando latifúndios improdutivos. hehehe

    Vou passar o link da entrevista lá no blog.

    Beijos!
    Deb.

    ResponderExcluir
  2. Você nem é entrevistadora principiante, dona antropologuinha. Adorei as inovações do seu blog, quem sabe um dia eu não copio?..
    Eu também adorei a entrevista com a Deb. De vez em quando leio o blog dela, é muito bacana.
    Beijo procê.

    ResponderExcluir

Comentários moderados.