segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Auto-Estima ou reflexo da estima do outro?

 

Olha eu aqui mais uma vez pensando cá com os meus botões. Tem dias que a gente está bem para baixo, triste e como muitos diriam com baixa auto-estima.

O dicionário eletronico Houaiss diz que auto é um “antepositivo do gr. autós,ê,ó '(eu) mesmo, (tu) mesmo, (ele) mesmo, (si) mesmo' (representado em lat. por um reduzido número de helenismos em que auto- ocorre como pref.)”.  Isto é, auto-estima é gostar, valorizar, estimar a si mesmo.

mirror

Contudo, caimos ordinariamente no erro de dizer coisa do tipo: “minha auto-estima elevou-se quando sai com amigos e eles ficaram elogiando minha beleza”. Opá! Cadê a parte de se auto-valorizar??? É muito comum que nos sintamos mais queridos até mesmo por nós mesmo quando sentimos que somos queridos por outras pessoas. É como se ao perceber que quase ninguém gosta de você - como você acha que deveriam - você tirasse de si o direito de gostar de você também.

Eu acho essa expectativa que a gente coloca no outro tão complicada, mas acredito que acabo de perceber algo fundamental nessa expectativa toda. Se a gente depende da “aprovação” do outro para se auto-estimar, se a gente precisa receber um assobio na rua do tipo “fiu-fiu” para se tocar que deve se cuidar mais e se achar mais bonita, por exemplo, isso significa que a nossa relação em nós mesmos só existe em si quando há outro. Não existo se não existe alguém que me diga quem eu sou.

Infelizmente tudo isso é muito mais complicado do que nossas meras fantasias sobre o controle que temos sobre nosso próprio desejo. O que é o mercado de livro de auto-ajuda se não alguém que percebeu que as pessoas sentem-se felizes e confortáveis lendo palavras bajulativas, que comprar um livro inteiro que afirma que o seu leitor é especial, único, perfeito e capaz é comprar um capaixão em papel e tinta.

Eu queria sinceramente ter a capacidade de acreditar em mim todas as vezes que eu mesma me digo que sou uma delícia. Mas quem sabe um dia eu consiga…

Por enquanto vou dando up’s na minha auto-estima quando o outro aprovar meu modo de vestir, meu cabelo, meus olhos, minha boca… vou acreditando mais no outro do que em mim mesma. E agora que eu pensei isso não estou sentindo nenhum conforto com essa situação.

=/

3 comentários:

  1. Quer acreditar em si mesma, sem ajuda alheia?
    Quando pequeno, tinha este problema também até que vi um comercial de uma distribuidora que estava chegando ao Brasil.
    "Quem não é o maior, tem que ser o melhor"
    Seja o melhor de si para si mesma e seja feliz.

    ResponderExcluir
  2. Oi Omar, não é que eu não acredito em mim, mas estava pensando nesse termo "auto-estima", que não é usado de sua maneira verdadeira.. pq a "auto-estima" não se eleva quando a gnt se auto valoriza, a gente se valoriza pq outro valorizou antes. O se valorizar sozinho não faz muito efeito..

    Mas enfim... Pensamentos borbulhentos.

    ResponderExcluir
  3. Cassi

    Teminha complicado... É, teoricamente não deveríamos ter essa dependência. Mas acaba que nos vemos pelo olhar do outro. Eles passam a ser um espelho para nós. Não é o ideal, concordo, mas acho que é compreensível e absolutamente comum, uma vez que somos seres sociais...

    Acho que o problema maior rola quando se cruza a linha entre o ver-se pelo olhar dos outros e o depender da aprovação desses olhares... Aí ferrou.

    Beijos!
    Deb.

    ResponderExcluir

Comentários moderados.