sexta-feira, 23 de julho de 2010

Cadeirantes e o Acesso ao Bus.

thumb.php

Quem acompanha o blog sabe que sou “motoqueira” e que estou proibida de pilotar por causa da fragilidade que medicamento que estou tomando para tratar uma TVP causa a mim. E eu, por gostar demais de moto, nunca tirei carteira de carro. Bléééé… Tudo bem! Então… Estou obrigada a usar o transporte coletivo vez ou outra.

Hoje foi um dia desses que utilizei o transporte coletivo e fiquei super emocionada. Eu estava lá sentadinha e duas mulheres deram sinal para o ônibus, sendo uma delas cadeirante. Fiquei logo eufórica para ver aquilo acontecer, pois nunca havia visto antes. Moro em uma cidade de médico porte, mas mentalidade da população é extremamente provinciana. Aqueles com estigmas normalmente ficam escondidos dentro de casa, faz pouco tempo que se pode ver pessoas com alguma necessidade especial pelas ruas. Ver aquela mulher cadeirante utilizar o transporte público, ver a disposição do “cobrador” para vir operar a máquina que possibita o acesso e ajudar no que mais fosse preciso para bem acomodar aquela pessoa me fez encher os olhos d’água.

Tudo bem que teve a novela do Maneco, a Luciana riquinha que tinha acesso a todas as coisas que alguém com necessidades especiais precisa e talvez isso tenha contribuído para que agora os cadeirantes sintam-se confiantes para utilizar o serviço, ou não. Mas particularmente, para mim, aquilo foi motivo de uma alegria muito grande. Deixou meu dia mais feliz, mais iluminado. Ver que as pessoas não estão limitadas, que mesmo de maneira torta o Estado escuta a voz dos movimentos sociais e vai possibilitando que isso aconteça.

Sei que o fato de um ônibus coletivo ter essa tecnológia não aconteceu sem uma luta, sem discussões, sem debates acirrados. E eu fico feliz quando vejo acontecer, feliz de verdade.

Um brinde aos movimentos sociais e às pessoas que se comprometem sinceramente com esses movimentos.

=D

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários moderados.