segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Paz


Eu quero entender o que me deixa em paz.
Eu quero viver minha liberdade em paz.
Eu quero amar a paz que eu já tenho.
Sinta a sua respiração: Paz!
Seja poeta: o poeta é o traficante da liberdade.
=D

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Tou chegando, Bel!

Foto: Cassi e Bel


Só porque eu falei com ela - Isa Bella - que o ano não virava se eu não chegasse ao Espritu Santo para dar um abraço nela.
Vou indo-me para lá. =p

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Conto nº 2: Feiticeira do Asfalto.





A conheci há alguns dias atrás. Não parece ser alguém que tenha vindo de um universo paralelo qualquer. Quando a conheci tinha a pele rosada e sorriso largo. Não tinha anéis nos dedos e nem grampos nos cabelos. Parecia ser capaz de se divertir com muito pouco. Mas pelo o que me parece aquela não era bem ela, acredito que naquele dia eu não a vi realmente, deveria estar escondida por um feitiço simpático.
Hoje ela passou por mim como se eu não existisse no mundo dela. Alta, forte, sisuda e solitária. Parecia contar os passos para não se perder pelo caminho. Queria poder ler seus pensamentos, mas sou apenas um mortal.
Eu diria que hoje seus cabelos foram penteados/arrumados por uma fada. Cada fio que lhe cai sobre o rosto e as costas parece ter sido posicionado estrategicamente. Sua pele está empalidecida, com um pouco de carmim nas maças do rosto e na boca. Os olhos firmes e perdidos, como se procurasse entre o limiar dos mundos uma brecha para espiar o que acontece do lado de lá. Houve momentos que acreditei que ela o conseguiu, pois vez ou outra - com o olhar pousado no nada - vi surgir um sorriso tímido em sua face, aquele tipo de sorriso que só acontece quando se compartilha algo com outro.
Ainda me parece um mistério. Uma mulher que instiga, atiça fogo e de repente tenta passar desapercebida. Mas é nesse momento que ela se torna mais evidente. Uma feiticeira, Senhora que vive entre dois universos paralelos, que sonha em estar lá quando aqui está e se contorce de saudades de cá quando é lá que está descansando.
Particularmente hoje, pareceu-me que ela estava nos dois lugares ao mesmo tempo. Lá e cá. Pois não tinha aquele sorriso largo plenamente e nem se permitia ser absolutamente rígida.
Que venham os próximos dias de encontros casuais e que eu consiga conhecer um pouco mais dessa feiticeira do asfalto.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Assim Disse: "E' un mondo difficile"



Tonino Carotone


E' un mondo difficile

e vita intensa
felicita' a momenti
e futuro incerto
il fuoco e l'acqua
con certa calma
serata di vento
e nostra piccola vita
e nostro grande cuore

Porque voy a creer yo en el amor
si non me entiende no me comprenden tal como yo soy
Porque voy a creer yo en el amor
si me traiciona y me abandona cuando major estoy
No sabemos muy bien entre tu y yo
y aunque parezca no tienes la culpa la culpa es del amor

E' un mondo difficile
e vita intensa
felicita' a momentie futuro incerto
No puedo convencer a mi corazon
si yo no dudo y estoy seguro que el tiene razon
No voy a asesinar esa sensacion
si yo la quiero yo la deseo aunque me de' dolor
Yo no quiero sufrir pero aqui' estoy
y estoy sufriendo y no me arrepiento
me cago en el amor

E' un mondo difficile
e vita intensa
felicita' a momenti
e futuro incerto
il fuoco e l'acqua
con certa calma
serata di vento
e nostra piccola vitae nostro grande cuore

Porque voy a creer yo en el amor
si non me entiende no me comprenden tal como soy yo
Porque voy a creer yo en el amor
si me traiciona y me abandona cuando major estoy
No sabemos muy bien entre tu y yo
y aunque parezca no tienes la culpa la culpa es del amor
Yo no quiero sufrir pero aqui' estoy
y estoy sufriendo y no me arrepiento
(me cago en el amor) me cago en el amor
Me cago en el amorMe cago en el amor

Vita mia
E' un mondo difficile

[Cancion: Me Cago en El Amor]

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

"São só garotos!"




Eu queria ter a idade que está marcada na pele de minhas mãos.
E não esperar.
E ter o direito de atacar.
Não me surpreender mais com mentiras.

Tenho excessos que me impedem de muita coisa.
Uma mente em devaneio e um coração delirante.

Não sei o que fazer comigo.
Volta Anne! Volta.

Eu preciso aprender mais coisas como você.
Não tenho maturidade o suficiente para conseguir ser apenas uma.

Eu ainda aprendo a ser só. Afinal, garotos são só garotos!

sábado, 12 de dezembro de 2009

O trem!



Adoro ouvir o barulho do trem de madrugada. E. só percebi quanto isso é intenso em mim hoje.
O sino, o barulho dos vagões trepidando nos trilhos.


Se eu parar para pensar bem, eu cresci caminhando sobre os trilhos. Procurando equilibrio entre um passo e outro para ficar em cima de um dos trilhos ou contando os passo para caminhar sobre as tabuas que ficam entrem os trilhos.


Acho trem lindo. Nunca andei de trem, acho que vou fazer isso nessas férias, em janeiro. Vou tentar pelo menos. É capaz até que eu fique emocionada. Já andei de bicicleta sobre os trilhos, já pulei um entre-meio de um vagão para outro de um trem parado para conseguir atravessar a linha, sempre me senti como a moradora do lado de lá dos trilhos. Eu vejo a cidade partida pelos trilhos e eu moro aqui, do lado de cá... longe do lado de lá. E sinto minha energia vibrar mais forte quando atravesso os trilhos.

Não gosto de passar pela ponte... Gosto de sentir o trepidar dos trilhos. Talvez por isso eu ainda insista em andar na linha, em alguns aspectos.

Ah! Trem... passa novamente e me faz dormir?!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Assim Disse:

Lobão

Às vezes é melhor deixar o tempo passar.
Às vezes é melhor virar a página e recomeçar tudo de novo, tudo de novo mais uma vez.
Às vezes é melhor sorrir, imaginar.
Às vezes é melhor não insistir, deixar rolar.
E tratar as sombras com ternura, o medo com ternura e esperar...
Às vezes é melhor deixar o grito escapar.
Às vezes é melhor perder o controle e desabar, e quebrar todas as promessas e atacar!


...

Só porque tem show dele por aqui amanhã e eu quero ir.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Assim disse:


Gabriel Garcia Marquez


Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja. Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar. Não sei brincar e ser café com leite. Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las. Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante - e porque posso achar errado - e ter que me desculpar - e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia. Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crêr que é para sempre quando eu digo convicto que " nada é para sempre."

sábado, 5 de dezembro de 2009

Estrutura do Pensamento

As ações humanas são guiadas, constantemente, por tipos ideais que povoam a mente, a idéia coletiva. E isso ocorre também quando se trata de relação entre pessoas. Relação entre homem e mulher. Uma estrutura de pensamento que rege o comportamento de gênero.
E há quem acredite que a estrutura de uma sociedade se mantém, também, através da relação: moral religiosa -> sociedade -> manutenção da moral religiosa.
Bem, por aqui a moral religiosa é cristã e o modelo ideal de comportamento de gênero é a ... tchan nan nan nan... Sagrada Família - que estará dentro da casa de muitos agora no natal.




Esse modelo ideal fode com tudo - Vixi nossinhora, estou sendo profana - mas F O D E mesmo.




Pense: A mãe dessa família sagrada é uma santa mulher, virgem que se casa com o homem que tudo provê, que pacientemente ajuda para que tudo der certo. E além do mais é filha e amante do homem mais fodaum de todos, que realmente provê TUDO. E ninguém faz uma análise incestuosa da sagrada família. Ora essa. Fazer o quê?! Olha eu sacrilejando de novo.

Trocando em miúdos.
Espera-se uma mulher bem casada e um homem bem sucedido provendo essa mulher bem casada com ele que é bem sucedido. HiHiHiHi.. Ciclo perfeitinho.



O que o homem que deve ser o bem sucedido espera da mulher eu não sei, mas eu poderia fazer uma lista do que eu penso que a mulher que deve ser a bem casada espera dele.


A mulher [que deve ser a bem casada]:

  • Ela chega super empolgada contando algo que ela vai fazer e ele desaprova. Ela se sente ofendida, fica triste e por mais que queira acreditar que ela pode fazer aquilo, mesmo com a reprovação dele, ela o fará triste, chateada, sem tesão. Pois ela, mesmo sem querer, se importa com a opinião dele e não quer parecer estúpida diante do homem que ama.
  • Ela está com gordurinhas a mais e não acha que está tão ruim assim. Ele tranquilamente faz um comentário sobre a pancinha que está a cada dia maior. Ela engole seco, sorri, mas fica triste. Pois qualquer um poderia falar daquela pancinha, menos ele. Ele teria que desejá-la e, quem sabe, achar aquela pancinha super sexy. Lá vai ela, então, mesmo sem querer, acabar com a pancinha.
  • Ela está com raiva de alguma coisa que ele fez e de repente fala sobre essa coisa na frente de um terceiro. Ele fica super chateado, se entristece, pois ela não tinha o direito de falar sobre aquilo na frente de alguém. Mas por algum motivo ela precisava falar e para falar precisava de um escudo. Mulheres não estão dispostas a apanhar todas as vezes que precisam falar sobre um erro cometido pelo homem que se pensa perfeito. Já perceberam como os homens estufam os peitos quando o bicho começa a pegar na hora de um DR? Mesmo que ele não bata, parece que pode.

E tem mais coisas, mais e mais... pensamentos que regem a cabeça de mulheres, mesmo daquelas que parecem mais soltas e livres. Descoladas. Mulheres aprendem a ser inseguras, para que eles sejam seguros. Aprendem a ir cobri-los, mesmo que ele vá dormir no sofá. Mas buscam, buscam o ideal de conseguirem realmente ficar sem olhar na cara deles quando assim elas prometerem.

Buscam não se importar com ele, já que ele parece realmente não se importar com ela.

Daí vem o descontrole. Daí vem vários erros. Porque mesmo quando não se quer nem por um triz se parecer com a mulher da sagrada família, fazemos coisas que fazem com que não reconheçamos a nós mesmas quando estamos com o homem que amamos.

Paciência.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Os Olhos de Capitolina!


"Olhos de Cigana, Oblíqua e Dissimulada".
[Dom Casmurro - Machado de Assis]

A marca do olhar, o enfeitiçamento através dos olhos é algo que há muito tempo se fala sobre. Os olhos são o espelho da alma. Os olhos são a candeia do corpo. Olhos são portais que revelam, que expoem as verdades e as mentiras.
Não se confia em alguém quando não se confia em seus olhos.

O olhar da Capitu é o olhar mais cobiçado da literatura brasileira. Um olhar que provoca insanidade, desejo, cólera, doçura, desconfiança e mais. Talvez por haver no olhar da capitu algo que não existe em suas ações, mas não se consegue descobrir o que é. Há no olhar dela um algo que não se revela, não se entende, que guarda um segredo e talvez por isso desperte a possibilidade de uma mentira, ou pelo menos de uma omissão. Visto que quando não se pergunta a coisa certa para se obter certa resposta a resposta não encontrada não é uma mentira, mas uma omissão.

Olhos que omitem são mais crueis do que olhos que mentem. Pois olhos que omitem riem daqueles que não souberam fazer a pergunta certa. Ou tiveram receio de fazê-la. Olhos que omitem riem da prudência alheia, da hipocrisia, do tato com as palavras... Eles gargalham sobre os escrúpulos.

Pois bem, leitora [e leitor], faço um brinde ao olhar da Capitu. Faço um brinde a falta de escrúpulos na hora de perguntar o que se quer realmente saber. Que essas duas coisas [os olhos que omitem e as perguntas sem escrúpulos] possam ser uma constante em nossas vidas. HiHiHi..

É possível que o Bentinho tenha se tornado o Dom Casmurro por causa da ausência da pergunta. Talvez por medo da resposta. O medo da resposta também imobiliza as pessoas. E os olhos que não precisam responder continuarão sempre rindo... Com ou sem óculos.
;)

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Sensualidade Carnuda

Eu estava no google procurando uma imagem para ilustrar meu post. E estava procurando justamente essa:

No entanto, eu me lembrava da imagem, mas não me lembrava que havia sido feita para essa campanha. Uma campanha ridícula que diz: "Esqueça: O Gosto dos Homens Nunca Vai Mudar". Ou poderia estar escrito: "Olha aqui, sua GORDA, ou você toma um potinho de iogurte por dia ou nunca vai ter uma vida sexual ativa e saudável". E esse saudável não é no sentido de "sem colesterol" e outros blábláblá's que todo mundo acredita ser doença só de gordo.
É saudável no sentido de não ficar maluca porque o cara só vai lhe comer se for escondido, nunca vai ser romântico com você, porque ser romântico com gordas é estranho [afinal, não dá para tomar a gorda nos braços e rodopiar na rua. E nem tentem isso em casa. ;p] e você vai começar a ficar louca e obcecada por iogurtes fit's para conseguir chegar ao peso ideal.
Para mim peso ideal de cu é ...
Meu peso ideal é aquele que me possibilita qualidade de vida. Com ou sem gordurinhas.


E sinceramente, eu chego ficar com gastura dessa atriz aí acima [a beleza americana original], quando a coloco perto da sensualíssima e carnuda da propaganda da Itambé.
E eu ainda acredito que as novas gerações de gordinhas vão crescer se sentindo tão lindas e sensuais quanto possam ser. Sem ter medo de ouvir crueldades do tipo: "ele até gosta de você, mas você podia emagrecer um pouco." Ou ter que se contentar com o cara que aparecer, mesmo que não as atraia para não chegarem aos 35 anos virgens.
Eu sou a favor do "que cada um tenha a possibilidade de viver plenamente os seus desejos".
Hedonismo?? Volúpia?? Que seja... Afinal, não vou levar nada dessa vida, então que ela seja pelo menos prazeirosa. =p
E só para constar, tem uma propaganda da dove que eu adoro:


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Tattoo

[por Cassianne]
A cada nova marca que recebo
É um velho ciclo quebrado.
Escandalosamente abrindo em mim
brechas com a agulha daquele aparelho.

E a cada novo arranhão é como se toda
energia, boa ou ruim, se fosse.
Azeviche em minha pele.
Lótus em meu desenho.

Dança, canção, mambo.
Flor que zera a energia.
Sangue que mantém no passado o que lá ficou.

E eu sinto o ar voltar aos meus pulmões,
pureza e alegria.
Não reconheço mais as formas do passado.
Minha visão está levemente alterada.

Causa em mim nauseas ver o passado.
Espiritualmente outra.