segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Saudade de amar.

"De quem deixou a segurança de seu mundo, por amor." [Legião Urbana]


sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Permissão para o erro.

Olha eu fazendo essa mesma merda de novo!
Quem nunca passou por isso?? Fazer algo que outros e até você mesmo considera errado pode se tornar um ciclo vicioso, quando você acha que se distanciou, está lá novamente, fazendo as mesmas coisas, com as mesmas dúvidas, as mesmas chateações, o mesmo cansaço: tudo repetido.
Eu queria conseguir controlar a mim mesma. A ter consciência do que eu achei que aprendi com o erro anterior e não repetir o que considerei erro nunca mais. Mas o desejo é tão grande... Desejo é algo que enlouquece a vida da gente. Quando desejamos muito algo nos tornamos vulneráveis a esse algo. Ficamos a mercê desse algo.
Sinceramente, hoje eu só gostaria de conseguir viver o que tanto desejo, sem precisar me sentir torta.
Hoje é um dia para ouvir Gogol Bordello: Think Locally, fuck globally.
E eu diria que meu local é bem localizado em mim mesma.[Vide Umbiguismo.]

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

E uma garrafa de rum!

Eu não fui uma teenager de colecionar posters de famosos. De ficar babando em pop stars [tá bom... tá bom... a fase backstreet boys e Spice Girls tomou conta de mim também].

Whatever.. o que quero dizer é que eu não fazia parte de fã clubes.
Mas vendo um trailerzinho na tv só sobre filmes estrelados pelo Johnny Depp e lembrando dos que eu já vi. Caralho... ele é tudibaum meeeessmo. HaHaHaHaHaHa...
As mulheres, hoje, sentem-se atraídas por caras que têm estilo. Pense: Uma boca gostosa, óculos de grau, pele morena, dread e um papo gostoso. Para algumas pode ser paixão na certa ou pelo menos uma foda gostosa. ;)
Johnny Depp é esse cara através das personagens que ele faz.
Ai ai.. eu suspiro só de pensar no Capitão Jack Sparrow. Atrapalhado, safado, sem vergonha, bebedor de rum e de uma esperteza colossal. Eu beberia rum com ele facinho, facinho...




Voltando a falar de estilo.

Os caras que talvez eram tidos como feios na adolescência, mas que hoje souberam fazer o seu estilo, aprenderam usar bem os acessórios [brincos, chapéus, bandanas, correntes, óculos e até o violão.. HiHiHi...], aprenderam a se fazer bonitos [com ou sem tatuagem, estilo de cabelo, barba, bigode; gordinho ou levemente malhado]; vão se tornando aos olhos da mulherada charmosos e sensuais. Alguns aprenderam a não se deterem em tentar conquistar a loira do tchan, mas mulheres que também tenham seu estilo, algo a dizer, sensualidade... conteúdo.

O Johnny mesmo não é essa beleza estonteante, aposto que era um adolescente feiosinho que fazia aulas de teatro e se dava mal com a garotas... HiHiHi... mas ele tem seu charme, sua leveza, um toque de sensualidade, uma vontade de algo mais.

Bom mesmo é se apaixonar pelo improvável. =D

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

O Poder da Gargalhada!


A gargalhada é uma risada franca, estridente e prolongada [li ali no dicionário]. Dar gargalhadas expulsa o maus espíritos que estão em você, libera boas energias, faz você se sentir bonita, leve e livre.
Pode parecer loucura, mas eu dou crise solitária de gargalhada. Fazia tanto tempo que isso não me acontecia que quando ocorreu esse final de semana eu ria mais e mais por estar feliz por aquela crise ter retornado. Confesso que essa CSG só acontecia quando eu praticava a grande arte de pirraçar [ou ironizar a vida de] biscates, aparentemente-santas, birrentos, cismados-a-bons, ou seja, a categoria dos que não devem ser pirraçados ou ironizados. HauHAuAHuaHauHAuHaua... Fazia bastante tempo que eu me controlava e não pirraçava mais as pessoas. Eu implicava [que não é nada divertido], mas não pirraçava. Sabe aquele riso que fica guardado no canto da boca quando você faz algo ou diz algo que só você sabe o por quê? Adoro sentir esse risinho preso ali no cantinho, bem exprimidinho, esperando uma hora de violentamente sair.

Tive um renascimento. Sabe aquela história batida e repetida da Fênix? Juro que dessa vez eu me senti a própria. Os olhares que recebi foi do tipo: "essa maldita deve ter renascido do inferno". E eu me divirto muito. Mais ainda quando escuto os amigos dizerem: "vai ter que passar na casa de alguma dona pra mandar benzer, pq devem ter carregado vc". HuaHAuaHauAHuaHau..

Mas meu ritual de benzeção faço eu em mim mesma, dando gargalhadas exorcizantes, deixando lágrimas cairem e a barriga doer. Sozinha, um ritual louco e iluminado que brota dentro do meu ventre.

E eu já disse que considero meu rosto muito mais bonito rindo??? Estabanada de rir então... fico uma belezura. Recomendo a todas, gargalhem bastante, faz bem pra pele e nos mantém jovens. Com brilho nos olhos.


Um brinde a gargalhada estabanada.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Bad Reputation!

Jeans para operários que foi se tornando uniforme de rebeldes.




All star para jogadores [homens] de basquete que foi tomando os pés das mulherzinhas que estavam mais preocupadas em viver o dia do que ficar em cima do salto alto.




Jeans, All Star, Rock'n'Roll e Mulher. Resultado: Bad Reputation.




Foto: Joan Jett


"I don't give a damn 'bout my bad reputation!" ... Não é preciso se importar com o quê os outros pensam sobre nós. Em uma cidade grande, mas muito provinciana ter má reputação ainda é perigoso. Contudo, eu adoro viver no perigo. HuaHAuhaUaHaua...
Antes...
... eu pensava demais para tomar atitudes.
... eu temia os ouvidos alheios.
... eu temia, sobretudo, a língua alheia.
... eu tentava me manter sóbria durante uma farra.
Ou seja, eu me preocupava em ter uma boa reputação.
Mas já algum tempo percebi que usar meu all star, meu jeans, ir ao rock e ser mulher já não colaborava para a construção de uma boa reputação.
Dessa forma... um brinde a má reputação.

domingo, 22 de novembro de 2009

Relacionamento?


Sim, muitos!
Eu tenho muitos relacionamentos. Cada um a seu jeito, com suas formas, com diferentes tipos de beijos e abraços.
Solteira!
Parada no tempo e no espaço dos beijos ardentes cotidianos.
Diversão!
A ilusão de que por se estar solteira tem-se mais direito a se divertir. A todo e qualquer momento, sem resistir, sem hesitar, sem pensar na ressaca do dia seguinte.
Beleza!
A estupidez de acreditar que mulher solteira tem que estar bonita o tempo todo. Maquiagem, unha e cabelo. Que canseira!
E no fim...
A vontade de esperar algo novo. Mas sem paciência para ficar sentada e pensando: - "enquanto isso, na sala de justiça..."
Só alguns devaneios de final de semana que já está acabando.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Mulher e Cerveja.



Mulher, Cervejinha gelada, mesa do bar, galerinha animada e papo fiado. Uma combinação muito da safada.
Tenho notado que essa combinação, muitas vezes, pode tornar-se um grande constrangimento para os homens e mulheres que estão à mesa e para aqueles outros que estão por ali: garçons, vizinhos de mesa e etc.
Verdade que os garçons mais se divertem do que ficam chocados. Mas não queira olhar para a mesa ao lado depois que em sua mesa alguma mulher disse um sonoro: "Tem que dar a buceta mesmo..."

"oops! Foi mal." - é essa a reação de muitas mulheres depois que já disse o que tinha que ser dito e que se fosse um pouco mais hipocrita não diria. Mulher é muito mais hipocrita do que homem, mas isso é culpa das outras mulheres que vieram antes e das outras que vieram antes e vai, vai e vai... E é sem parar.

Acreditou-se que boca de mulher deve se manter fechada, bem como suas pernas.
Eu queria viver sem precisar desse "oops! Foi mal." quando uma mulher - e muitas das vezes essa mulher sou eu - fala o que quer dizer, sem rodeios ou pudores inexistentes em si. Ainda me sinto constrangida [menos do que antes] quando depois de uma frase despudorada e ébria - mas que também seria sóbria, mas em um tom menor - sai da minha boca e dou de cara com olhos arregalados, um puxão por baixo da mesa de uma amiga ou um "suspende o álcool".

E a vontade é de dizer: "suspende o álcool é o caralho, eu não falei ainda nem a metade do que tenho para falar". Mas em alguma coisa eu já progredi, não tenho mais ressaca moral. Já consegui entender que sou assim, desbocada e esculhambada sóbria ou ébria. E me divirto assim e estou cada vez mais conseguindo me divertir com os olhos arregalados dos outros também. =p


Enfim. Um brinde a Juventude e a Saúde.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A Arte de Ser Mulher.



Vários artistas em todo o mundo expressaram sua arte através da mulher. De várias formas e vários ângulos.


Amedeo Modigliani expôs o rosto de Jeanne [sua amada] através de sua arte.


Joan Miró trouxe a beleza de uma lind[A] Bailarina.




E temos mais e mais... Monalisa, a Vênus de Milo, madona's...


Há momentos poéticos e extremamente polêmicos, como a exposição da arte de Gustave Courbet, um pintor francês considerado anarquista que viveu no século XIX.

Ele, magnificamente, nomeou a obra a seguir de "A Origem do Mundo".



Não sou conhecedora das artes. Apenas aprecio o impulso criativo, porcamente, mas aprecio. Não me arrisco a opinar sobre e muito menos criticar. Para mim, basta poder olhar o que vem do íntimo de alguém. Poder compartilhar um pouco do segredo do outro que ele me permitiu conhecer.

Quando vi essa imagem do Gustave foi uma delícia [com direito a piadinha, mas eu não gosto de buceta, ainda mais com esse tanto de cabelo.. arg!]. Piadinha a parte, é deslumbrante perceber as várias formas que podemos olhar as coisas, as pessoas e o mundo.


E, saber que alguém viu na buceta de uma mulher a origem do mundo foi o maior elogio que eu poderia receber em minha vida.


Um brinde ao Gustave Courbet!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Casamento


Ou a gente se casa ou o relacionamento vira uma merda??

Essa pressão pode existir na sua cabeça ou a vontade de fazer essa pressão. Mas ela não deveria existir. Eu ainda acredito que casar pode não ser para sempre, mas ser feliz tem que ser eterno.
Para quê casar se na cabeça há essa idéia fixa de quê "não precisa durar para sempre"...

Tem algumas coisas na vida que a gente começa pensando no dia de terminar, como: um curso, uma tese, um livro, etc. Contudo, ninguém dever começar um relacionamento com data marcada para o fim. E não pensar nesse fim não quer dizer que ele não possa existir, só não precisa ser lembrado, ouvido, discutido, analisado, sistematizado e, por fim, concluído.

O fim tem que ser o fim na hora que for o fim.
Não porque o outro não cedeu a sua vontade de se casar. Ou só porque o outro acha que é hora de você se casarem e você não acredita que precisam disso para continuarem sendo felizes.
Juntar as escovas de dente não é um processo tão dramático, mas também não é simples como atravessar a rua. Bom mesmo é não ter medidas. Não ter que se adaptar ao tempo do outro, sem ter tempo de pensar no seu tempo.

Se um homem não quer casar depois de 6 anos de namoro, coitado! Sofre todo tipo de acusação, safado, cachorro, sem vergonha, quer ficar na gandaia, é imaturo demais para assumir um compromisso tão sério quanto esse.
Se uma mulher não quer casar depois de 6 anos de namoro. Coitadinha! Provavelmente ele não presta, deve fazê-la mal, ela tem medo de se envolver com um cara sacana desses.

O homem se estrumbica sempre!
Meninas... acreditem, se você não quer casar ou ele não quer casar, não quer dizer que não há maturidade, vontade de ficar junto, tesão, amor e etc. Ficar na safadeza é coisa ótima e namorar também. E as duas coisas devem estar juntas, sempre.


E isso tudo é para dizer: eu só vou querer me casar o dia que eu me sentir tão quente e confortável no braços de alguém que me faça sentir vontade de voltar ali todas as noites.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Poetisa



Florbela Espanca, portuguesa, sargitariana, 36 anos tumultuados e vividos.

Quando comecei a ouvir - sim, ouvir, pois minha mente lê os poemas dela para mim - os poemas de Florbela me apaixonei. Intensifiquei minha existência ouvindo cada letra escrita no agora atemporal de Florbela.

Ser poeta, disse ela:

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!



É estar longe de um tempo, de um espaço, é um não haver fronteira, contenção. É tudo que se permite fazer brotar do coração, sem pudores, rancores ou algum sentimento que já tem rótulo. Poesia é algo novo que chega e faz um rombo na mente e na vida. Ganhar um poema de presente é ganhar parte da alma do outro. Há de se cuidar desse pedacinho de alma.

Florbela é ardência:

Lágrimas ocultas

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era q'rida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das Primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Falar de Florbela não me causa tristeza. Falar de Florbela causa em mim um contentamento de saber que não sou tão só, que no mundo há com quem se conversar. Que há com quem falar sobre amenidades e sobre intensidades. Há sempre de termos com quem se identificar, um novo sorriso a se conhecer, um novo olhar que nem em sonhos imaginou-se acessar. Há de ter novidade na vida e vontade de viver anos tumultuados, permitindo sempre que esse sentimento que não se pode expressar se expresse. Há de se trocar fluidos.

Estou em um estado de espírito sublime.

;)

domingo, 15 de novembro de 2009

As Forças do Mal


Não sei o que fazer para me libertar das forças do mal. MuhauahauhaMauahuaha...
Bebi demaaaaaaaaaaaaaaaaais ontem. Acho que exorcizei todos os demônios. Para falar verdade vomitei-os.
Ontem me lembrei do Cazuza, pois estive rezando no banheiro. HauAHauHAuaHaua.. rezei boa parte da noite. Até que os joelhos se cansaram e eu sentei. O banheiro era limpinho. Por isso que beber todas em chacrinha é tão mais saudável.
Eu dormi como uma pedra. E sonhei com uma pessoa, o Piteco. E foi estranho sonhar com essa pessoa. Owww jesuis... Sub-consciência é phoda.
Mas vou estar jurando que não vou estar bebendo por pelo menos 15 dias. No entanto, se puder rolar um sexo com guaraná, não estarei dispensando. How How How...
Salve, salve a Rê Bordosa. Ipi Ipi.. Urra!
Ploft... morri!

sábado, 14 de novembro de 2009

As Fotografias.


O que fazer com as fotos? Aquelas fotos tão lindas, que retratam um momento tão gostoso e feliz.
Tenho uma pasta cheia delas no meu computador. E aqueles que eu imprimi para usar no porta-retrato?
Já faz tempo que eu estava pensando sobre isso. Já tomei minha decisão ontem e a apliquei. Sobrou pouca coisa, só as mais significativas. Só pra não esquecer que momentos bons existiram.
Mas é uma coisa tão estranha. Um apego estranho e uma vontade grande de se livrar de qualquer recordação. Vivendo, bebendo e aprendendo.
=p
E hoje é dia de chacrinha! Iupi...

Mais nada!

Hoje eu só tenho uma coisa a dizer:

CA RA LHO! Que perfume mais filho da puta...


pronto, falei!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Noite Longa.

"Bailam corujas e pirilampos..."


Ontem eu fiquei muito tempo na noite. Com a janela aberta pensando em uma melodia sentimental que não me deixava dormir. Inquietude, foi isso que minha noite representou. Até onde consegui, vi televisão. Depois ela ficou lá, ligada, só para clarear um pouquinho o quarto. Um coração tristinho. Até me lembrei de uma frase da época da escola: "É impossível tirar da cabeça quem não sai do coração". Mas estou em mudança. No entanto, tem dias que são longooos como ontem e as noites ficam mais longas ainda.


Sobretudo, chega uma hora que você tem que tentar dormir. Desliguei a tv e me acomodei. De repente, um clarão no quarto. Pensei: "F U D E U!" O coração começou a sair do ritmo, os olhos queriam checar, mas não tinham coragem. E brilhou de novo. Não tive outra alternativa, olhei. E até pensei: "Se eu tivesse bebido hoje eu ia achar que eu estava doida demais." Demorei para entender que era um vagalume - poderia ser uma fadinha. Fazia muito tempo que eu não via um vagalume.



Ele saiu voando e piscando, pousou perto do botão de stand by do som e ficou lá piscando.

Levantei e acendi a luz para vê-lo. Peguei o copo, coloquei-o dentro, sobre o copo um livro de antropologia que estava por ali. Abri a janela e soltei-o no mundo. Tive medo de deixá-lo no meu quarto, pois na minha lâmpada vive minha querida Charlote [uma aranha faminta] e eu não queria ver um pirilampo virar comida.


Então vi a luz do vagalume ir sumindo no meio da noite. Acho que ele me trouxe um pouco de calma. Pois dormi.
Por ter sentido a energia do bicho fui olhar a representação dele no xamanismo. Olha o que se diz sobre a presença de espírito desse inseto.
...
Libélula ou Vagalume (Medicinas Xamânicas/Medicina dos Animais):
Iluminação e ventos da mudança.
Evocar para amadurecer as idéias, clareza mental, autocontrole. Para tornar a vida mais leve, novas perspectivas, mudanças. Conexão com espíritos da natureza, enxergar através da ilusão, ir buscar a nossa própria luz, enxergar as maravilhas da vida. [fonte pesquisa]
...
Adorooooo libélulas também. Cresci chamando-as de lavadeiras, foi esse nome que minha mãe me disse que aquele inseto tinha. Isso porque se você encontrar alguma libélula nas margens de um rio verá que elas ficam o tempo todo tocando a água.
E sobre a evocação, eu diria que foi imediata... faz realmente parte do que estou vivendo.


Bem, foi uma noite intensa.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Personagens femininas nas tirinhas.



Eu gosto de tirinhas, as minhas preferidas são as da Malfada - Quino. O humor e as sacadas de uma menina que detesta sopa. A Mafalda tem um espírito crítico e contestador. E isso já basta para eu me apegar muito a ela, ao ponto até de pensar em colocar esse nome em uma filha, se a tiver, é claro. Mas eu garantooo que a minha Mafalda iria gostar de sopa. HiHiHiHi...

Outra que eu sou fã é a Maria Joaninha Cascudo da Clara Gomes - Bichinhos de Jardim. Como a própria autora a descreve, a Joaninha é "realista, pé-no-chão e rigorosa". E um pouquinho de humor ácido não faz mal a ninguém.




Agora, estou começando a me apaixonar pela Rê Bordosa, a Mulher Esponja do Angeli.
O Angeli criou a Rê em 1984 e assassinou a diva em 1987. Uma pena, porque eu queria dar um abraço nela. Muito louca. A Rê fode com qualquer coisa, fuma qualquer coisa, bebe para caralho... muitos homens não gostam de mulheres assim e foi por se sentir tão incomodado que o Angeli a matou. Tem uma entrevista dele confessando o crime: Entrevista com o Angeli.



E para fazer um levantamento sobre a morte dessa diva foi criado o curta em stop motion Dossiê Rê Bordosa que apresenta ao público a realidade acima dos fatos.. HiHiHi. O curta é ótimo... e além de tudo eu amoooo animação em stop motion.
Dê uma olhada:

Um brinde a Rê Bordosa... Iupi.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Sonhei com sexo.




Sonhei com sexo essa noite. Não que isso seja novidade para mim e acredito que não é novidade para ninguém.
Há vezes que sonhar com sexo é melhor do que fazê-lo. Quando sonho com sexo não tenho que ouvir coisas em momentos inapropriados, não tenho que "franelar" - vide: ter que orientar para que lado o parceiro tem que ir - a trepada. É tanta sintonia, tanta gostosura que a gente acorda feliz feliz...
Mulheres, muitas vezes, têm receio de falar que pensam, querem, sentem falta, buscam sexo. Se o assunto é masturbação feminina, nossa, quanta hipocrisia. Conheço um bom número que juram nunca terem se tocado.
Ah! Vá catar coquinho, meninas.
Se tocar é a coisa mais deliciosa que podemos fazer com nós mesmas. Esse papo de ficar cuidando da sua imagem achando que um cara vai fuder gostoso com você só porque você é linda já está moribundo. Foda boa mesmo é quando você conhece seu corpo e os lugares onde você sente prazer, aí na hora que estiver rolando você só vai se preocupar em explorar o corpo dele, em tocá-lo, usar e abusar da junção dos seus corpos.
Sexo é para ser o momento mais livre do seu dia. E que haja sexo todos os dias. HiHiHi...
Tem que haver respeito pelos corpos, pelos desejos e uma troca deliciosa de sensações e arrepios. Há de ter um olhar atento, um sabor, um cheiro, uma temperatura, para que tudo conspire a favor do gozo.
Sexo é um ato que envolve dois. Largados no mundo, um sobre o outro, outro sob um, com mãos que possuem o corpo alheio e fazem gelar a espinha. Mãos, pernas, braços, pescoços... duas bocas, dois sexos em encontros e desencontros que não cessam.
Caralho, sexo é bom demais. =p

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Sua Honra...


"I said I don't kiss losers and I don't kiss winners".
[Your Honor - Regina Spektor]
Honra: Sentimento de dignidade própria que leva o homem a procurar merecer e manter a consideração pública.
Não quero mais homens com honra na minha vida. Eles chamam atenção demais para manter essa tal consideração pública e expõem o casal de uma maneira tão ridícula.
Eu quero apenas um homem que em uma mesa de bar, entre amigos, saiba gargalhar.
Que ele não venha com um interrogatório se eu tiver alguma atitude que ele considera que irá manchar a sua honra [É por isso que não a quero, ela mancha.. afff].
E se essa honra tiver que existir mesmo, que eu nunca seja parte dela. Ou seja, que ele resolva-se com a honra dele para lá.
Não quero viver para honrar alguém. E não quero que vivam para honrar a mim.
Quero um vai-e-vem de sentimentos gostosinhos, borboletas que transitam de uma barriga para outra através de cada beijo.
Quero um vai-e-vem de sentimentos ardentes no silêncio de nós dois. E se no ato, rolar uma piadinha, que venha...
Preciso de liberdade de olhar nos olhos. De pedir abraço e colo, por saber que vou receber de fato.
Ah! Em devaneios, aqui vou pensando em tanta coisa que quero.
Mas, de fato, o que não quero é alguém com honra, sangue nos olhos e coração extremamente partido.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Ah, tá! Parei...


Os finais de semanas são como um passeio de montanha russa. Eu poderia dizer que em 20 dias de solterice eu revi todas as pessoas significativas de minha vida. Vivendo hoje. E numa safadeza... Sem sexo, mas na safadeza. HiHiHiHi...
Dei todos os abraços. Ouvi coisas agradáveis. Palavras de estima, de carinho.
Tão bom...
Contudo, montanha russa embrulha demais o estômago.
Estou com o estômago embrulhado até agora, ele não se desembrulha, quando eu penso que vai desembrulhar vem outro passeio de montanha russa. E eu fico aqui, toda embrulhada.
Rindo sozinha das coisas que ouvi, rindo sozinha do que fiz, rindo sozinha... Não há nada tão bom como rir sozinha. E mais uma vez, quando os motivos para rir sozinha vão se acabando, lá vem, lá vem, lá vem de novo..
E para falar para vocês, amiôgas.. Acho que vou tentar parar um pouquinho de andar na montanha russa e ficar só na roda gigante mesmo. Caralho, montanha russa embrulha o estômago demais.
HiHiHiHi...

sábado, 7 de novembro de 2009

Um brinde a liberdade.

Hoje eu só quero dizer esse poema e brindar mais uma vez, mais milhões de vezes, a liberdade do meu sorriso.





Poema

Composição: Cazuza / Frejat

Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sexto Sentido.


Eu tenho que admitir que eu tenho esse tal sexto sentido, só que tenho medo dele. E em alguns momentos, como ontem, raiva. Quando eu tenho uma ligação muito forte com alguém é corriqueiro eu sentir "algo's" inexplicáveis. Mas normalmente não conto para ninguém o que eu senti, só que logo vem a notícia de um risco que a pessoa correu, uma tristeza e tal.

A última vez que eu não consegui dormir - antes da noite de ontem - me deu uma angústia, uma aflição e eu só lembrava da minha irmã. Fiquei pedindo ao anjo da guarda para cuidar dela, acordava a noite toda assustada [como foi ontem] e rezava mais. No outro dia, ela [que é bombeiro] contou que correu um risco danado em uma ocorrência e que um colega dela se machucou muito. Aí quando se confirma assim, com mais medo eu fico desse tal sexto sentido.

Ontem eu fiquei assim o dia todo, angustiada, não consegui dormir direito, acordando e lembrando dele, o ex-ele, sentindo que está acontecendo alguma coisa. Antes, quando isso acontecia, eu - ontem mesmo - teria ido a casa dele ou ligado. Tentando ficar por perto, como se minha presença pudesse impedir que ele ficasse triste. Mas nunca impedia, as tristezas sempre chegavam e, muitas vezes, senti que minha presença não alterava nada.

Agora, nessa situação, não sei o que fazer. Se rezo para ele, como rezo? Ou se rezo para mim, pedindo ao meu anjinho porreta para desvincular o meu sexto sentido dessa pessoa, pois ela não fará mais parte da minha vida. E é muito mais angustiante ficar angustiada por uma pessoa que você não pode saber como ela está ou tentar ajudar.

Não estou me sentindo nada confortável hoje pela manhã.
=/

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Parábola do esmalte vermelho.


Acordei e fui tirar o esmalte vermelho das minhas unhas. Quando tirei o esmalte da primeira unha lá veio a frustração. A unha ficou manchada. Isso porque eu nunca confio na minha intuição.
Droga!
Quando a manicure arrancou aquele esmalte de dentro da bolsa - de uma marca que eu não conheço - eu pensei: "Eu poderia ter trazido o meu. Vou perguntar se não tem outro vermelho de uma marca conhecida. ... Ah! Não vou não, besteira minha". E está aí o resultado: unhas manchadas por não acreditar na minha intuição.
Agora só me resta pintar as unhas, para esconder o estrago.
...
Quantas vezes eu já não me lasquei por não acreditar na minha intuição. Quantas vezes eu já olhei e pensei: "isso vai dar merda no final" e faço do mesmo jeito. Tive inúmeras vezes intuições acerca do findado relacionamento. Não as segui. Só para registrar, tive um sonho maluco, inconsciente é phoda, sonhei que o ex-ele tentava me beijar a força e eu louca querendo, mas não deixava. É assim... ai ai!
Agora vou tentar confiar mais em minhas intuições. Até mesmo quando se tratar de um simples esmalte vermelho.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Meu amigo Homem.



Ele: Oi minha lindinha, como você está? Estou morrendo de saudades de você! Não vejo a hora de poder lhe ver e lhe abraçar bem apertado.

Ela: Oi querido. Eu estou bem, trabalhando muito e tal. Também tenho saudades, quando você vem me ver, meu amigo?


Raramente vejo a situação com papéis trocados. Com homens enfatizando que se é amigo. Dizendo "... do seu amigo" ou "Oi minha amiga". Sempre é muito intenso, muito envolvente, muito blá-blá-blá do homem. E cabe a mulher mais uma vez dizer: "- Stop. We are friends." Onde quero chegar com essa idéia?

Bem, será que os homens acreditam mesmo em apenas amizade entre homem e mulher, que flua naturalmente, sem precisar alguém lembrar o tempo todo "Não haverá sexo, tudo bem?". Será que os homens realmente se aproximam de mulheres apenas para procurar por amizade?

Até aqui estamos pensando em um casal de amigos solteiros e heterossexuais. Com possibilidades sempre a vista.


E se algum deles tem namorada [o]? [Pensando heterossexualmente também]

Se existe um namorado na vida da mulher, esqueça queridinho, sua amiga vai cada vez mais se distanciar, isso porque homem não tem pudor em dizer para a namorada "não quero saber de você com aquele fulano, tenho certeza que o que ele quer mesmo é comer você" [Talvez ela tema isso também]. Ou seja, ele não acredita em amizade sincera entre homem e mulher. Mas talvez ele tenha as amigas dele e a mulher não pode se manifestar, até porque qualquer manifestação de ciúmes feminino é vista como barraco, frescura e blá blá blá. E se ela não quiser ser vista através desses adjetivos ela se manterá firme e tentará conviver com a amiga, se mordendo e lembrando que o tal namorado não acredita em amizade entre homem e mulher [isso quando se trata de você].

Agora, se existe namorada na vida do homem, não precisa esquecer queridinha, ele vai continuar sendo seu amigo. Isso só não acontecerá se a namorada dele for dominadora e/ou capaz de convencê-lo que não acredita em amizade entre homem e mulher e que aquela amizade fará mal ao relacionamento. Mas se não, ele vai continuar a amizade do mesmo jeito, com os mesmo abraços, sorrisinhos e beijos bem fortes e será ela, caso não queira confusão, que terá o tempo todo que dizer "somos amigos", "amigos de longa data" e etc.


Tudo isso me faz pensar que quem tem o instinto de caçar o parceiro no grupo dos humanos é a fêmea. Imagine uma mulher manifestando tudo que ela sente quando vê a tal amiga se aproximando do seu macho com sorrisos, beijinhos e abraços. No mínimo uma sairia morta. Acredito que, em algum momento no tempo, os homens conseguiram convencer as mulheres a se conterem e fizeram uma aparente troca de papéis. E até hoje eles buscam nos convencer que devemos ficar contidas, bem comportada e dentro das cavernas. Mas tudo isso foi apenas estratégia deles para conseguirem viver melhor. A mulher já tinha o domínio da geração, ela é mãe, de fato; agora se o homem é pai, quem sabe.
Vai saber quem foi o homem que teve essa idéia de inverter a situação:


Talvez a idéia surgiu porque deveria doer para caralho. HiHiHiHi..
No fim, sei que estamos reinventando novamente esses papéis, mas ainda não saiu totalmente de nossas cabeças a idéia de que ainda temos que nos conter em certas ocasiões. Phoda-se as contenções. Eu quero mesmo é viver sem ter que me conter demais.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Ouça.



"O passado não foi o bastante
Pra lhe convencer
Que o futuro seria bem grande
Só eu e você!" [Maysa]

Meu final de semana foi meio quase perto de vontades típicas de Maysa.

E o que quer dizer isso? Quer dizer que tive quase vontade de fazer arruaça, de fazer escândalo, de subir na mesa, de ficar nua em público, de recitar um poema e depois arrastar um garotinho qualquer para a cama.

Tive quase vontade de chorar por amor. De tomar Uisque. De gritar o nome dele, de ligar, chorar, pedir consolo e me arrebentar por dentro. Tive quase vontade de ficar louca, fazer uma maquiagem fixa que evidenciasse um olhar absoluto. Tive quase vontade de cantar lindamente, bêbada e descompensada. De cortar os pulsos superficialmente para chamar atenção.

Mas tudo isso foi quase vontades. Pois não gosto de vontades repetidas, releituras de vontades alheias, não gosto de repetir cenas e nem de programa outras aparentemente novas. Mais do mesmo em nova roupagem.

Na verdade o que eu queria era apenas uma resposta para uma pergunta que ainda não saiu da minha cabeça, mas que sei que nunca terei, pois não perguntarei.

Só espero que logo essa pergunta se evapore.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Confesso.



Confesso que esse final de semana eu extrapolei.

Eu vi "Mama mia".
Depois eu dancei 'dancing queen'.
Eu comi um caldo de camarão com muuuuuuita pimenta.
E acabei tendo que beber cerveja no gargalo.

Eu dancei o 'rebolation'. E fiquei bastante suada.
Eu me diverti.

Eu ri rodeada de pessoas queridas.
Eu fiquei até 5:30 am conversando e depois dormi na mesma cama com uma amiga.
Eu liguei para uma amiga de madrugada e nós duas estávamos meio bêbadas.

Vi minha amiga vomitar a vodka que ela bebeu.
Fiz xixi no quintal.
Eu acordei e continuei conversando muito com a amiga com quem dormi.

Eu abracei.
Bebi cerveja.
Bebi vodka.

Tomei banho com água da chuva [pq faltou água no meu bairro].
E meu cabelo ficou ótimo.
Vi a neblina da noite invadir a escuridão.
Eu comi o melhor arroz doce da minha vida.

Eu ri muito com uma menina de 17 anos.

Eu matei saudades, saudades de mim. E senti saudades...
Mas confesso, profundamente, que estive feliz por me divertir.