quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Tattoo

[por Cassianne]
A cada nova marca que recebo
É um velho ciclo quebrado.
Escandalosamente abrindo em mim
brechas com a agulha daquele aparelho.

E a cada novo arranhão é como se toda
energia, boa ou ruim, se fosse.
Azeviche em minha pele.
Lótus em meu desenho.

Dança, canção, mambo.
Flor que zera a energia.
Sangue que mantém no passado o que lá ficou.

E eu sinto o ar voltar aos meus pulmões,
pureza e alegria.
Não reconheço mais as formas do passado.
Minha visão está levemente alterada.

Causa em mim nauseas ver o passado.
Espiritualmente outra.


Um comentário:

Comentários moderados.