domingo, 25 de outubro de 2009

Metáforas sempre explicam.




Quando você está por aí na vida - procurando viver - muita coisa pode acontecer. Algo que pode acontecer é alguém esbarrar em você. Imagine você com um saco cheio de bolinhas de gude nas mãos, caminhando por uma rua e no percurso alguém dá um trombada em você, daquelas que lhe faz perder o equilíbrio e o saco voar de suas mãos, espalhando todas as bolinhas pela rua.

Você fica lá meio zonza, olhando para as bolinhas no chão, sem saber por onde começar a catá-las e preocupada, pois cada uma delas é importante para você. Mas com aquele incidente alguma pode ter se perdido.

A pessoa que esbarrou em você continua seu caminho e nem olha para trás. Com lágrima nos olhos você se abaixa e começa a recolher cada uma delas, verificando se ainda estão inteiras. Alguma lascaram, outras se partiram e outras se perderam... E você ali, recolhendo-as mesmo assim, até que outra pessoa que não tem nada com aquilo se abaixa e começa a catar cada bolinha - ou o que sobrou dela - com você.


Agora vamos a metáfora: Cada bolinha daquela representa vivências suas, preciosidades de sua vida, que estavam - aparentemente - sobre o controle de suas mãos. Pessoas trombam com a gente sempre... Transformam nossas vivências, as quebram, as fazem se perder e passam. Mas surgem novas pessoas, dispostas a recuperar vivências preciosas que foram rompidas por causa daquele esbarrão e lhe acrescentar outras vivências novas.


Vou ficar aqui vivendo e tentando não me surpreender com novos esbarrões.

E agradecendo a cada amigo [a] por me ajudar a recolher as bolinhas de gude. Obrigada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários moderados.